RSS   Redes Sociais   Facebook

2011—2017 © Lusocom

Todos os direitos reservados

Livros

O Anuário Internacional de Comunicação Lusófona é uma publicação regular da LUSOCOM. Entre 2003 e 2006 foi editado em parceria com a Intercom, e entre 2007 e 2011 em parceria com a SOPCOM e o Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade. Os primeiros nove números foram editados em papel. A partir de 2012, a edição é feita em parceria com a Agacom, passando o Anuário a publicar-se apenas sob a forma de eBook.    
As edições de 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011 estão agora disponíveis neste site para download gratuito. As edições anteriores a este período serão disponibilizadas brevemente.   

 

Anais do XI Congreso Lusocom - Tomo 1
Margarita Ledo Andión; Emma Torres Romay; José Rúas Araújo; Francisco Campos Freire
2016
O LUSOCOM 2014 foi pensado como fórum de debate para conhecer a realidade e a evolução das chamadas “Marca‐Território” que, como outra marca qualquer, se define através da língua, da cultura e, de modo sobranceiro, da comunicação. O espaço  que, em sentido alargado, identificamos como “Galiza e países lusófonos”, singulariza-se por ser um cenário em que a partilha de línguas de pertença ao mesmo sistema propicia o intercâmbio de conhecimento e de bens. Neste contexto, jogamos com a hipótese de que a construção da “Marca Território” traria uma oportunidade de grande interesse. As diferentes e numerosas achegas que se recolhem nestes Anais são prova de um processo em andamento que terá continuidade em Cabo Verde, no LUSOCOM 2016
Anais do XI Congreso Lusocom - Tomo 2
Margarita Ledo Andión; Emma Torres Romay; José Rúas Araújo; Francisco Campos Freire
2016
O LUSOCOM 2014 foi pensado como fórum de debate para conhecer a realidade e a evolução das chamadas “Marca‐Território” que, como outra marca qualquer, se define através da língua, da cultura e, de modo sobranceiro, da comunicação. O espaço  que, em sentido alargado, identificamos como “Galiza e países lusófonos”, singulariza-se por ser um cenário em que a partilha de línguas de pertença ao mesmo sistema propicia o intercâmbio de conhecimento e de bens. Neste contexto, jogamos com a hipótese de que a construção da “Marca Território” traria uma oportunidade de grande interesse. As diferentes e numerosas achegas que se recolhem nestes Anais são prova de um processo em andamento que terá continuidade em Cabo Verde, no LUSOCOM 2016
Lusofonia e interculturalidade - promessa e travessia
Moisés de Lemos Martins
2015
[Excerto da nota introdutória]

No atual contexto da globalização, que é uma realidade de cariz eminentemente económico-financeiro, comandada pelas tecnologias da informação, esta obra interroga o sentido das narrativas (literárias e mediáticas, e também das narrativas de histórias de vida) sobre a construção de uma comunidade geocultural transnacional e transcontinental lusófona. Interroga, igualmente, as políticas da língua e da comunicação como debate simbólico pela afirmação de uma comunidade plural, na diversidade de povos e culturas lusófonas. E interroga, ainda, a complexidade do movimento de interpenetração das culturas, o qual, com gradações diversas, que compreendem o colonialismo, neocolonialismo, pós-colonialismo, na relação entre os povos, traduz o encontro, a assimilação e a dominação, na interação entre nós e o outro.
Interfaces da Lusofonia
Moisés de Lemos Martins; Rosa Cabecinhas; Lurdes Macedo; Isabel Macedo
2014
[Excerto da nota introdutória do livro]

Os debates sobre a Lusofonia têm vindo a focalizar-se em alguns conteúdos difusos e dispersos, ora privilegiando a língua, ora a interação no domínio cultural, ora ainda dando relevo a uma matriz pós-colonial que permite olhar criticamente o conceito. Estes debates produzem importantes centralidades analíticas, tendendo porém a autoexcluirem-se mutuamente. Contribuem, para este “estado da arte”, o peso das fronteiras científicas e das diferentes tradições disciplinares, fatores que têm o efeito indesejável de parcializar e fragmentar um objeto que ganharia em ser visto de forma integrada.

Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2014: A construción da(s) identidade(s) a través da comunicación
Margarita Ledo Andión; Xosé López; Maria Salgueiro
2014
A investigación lusófona en Comunicación conquista novos espazos. Esta nova edición do Anuário recolle, baixo o prisma dunha aproximación ás cartografias da investigación lusófona, un coxunto de achegas que reflicten o pregresivo dinamismo que caracteriza o traballo de equipas consolidadas de investigación nos diferentes países. Exemplos disto son, por un lado, unha pesquisa bibliográfica centrada en analizar como a comunidade científica tem representado a produción de saberes na temática da lusofonia. E por outro lado, unha investigación centrada na constitución dunha cartografia vencellada á Comunicación, ao Turismo e ás súas transversalidades.
O resultado das investigacións recollidas nesta edición amosa visións panorâmicas tanto dos diferentes soportes como dalgunha das cuestións centrais dos procesos comunicativos nas sociedades actuais. A diversidade de enfoques e as achegas por parte de investigadores dos diferentes países constitúen sintomas do bo momento da investigación lusófona, que non só multiplica cuantitativamente a súa produción senón tamén no campo da calidade.
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2013: Comunicación na diáspora e diásporas na comunicación
Margarita Ledo; Xosé López e María Salgueiro
2013

Unha efeméride singular ábrelle a porta a esta nova edición do Anuário: o recoñecemento institucional do galego como única língua propiá de Galiza, que foi condición para a Lei de Normalización Lingüística de 1983 e que, num volume que se artella a redor da diáspora, vén a conto para sermos conscientes das diferenzas, dos contextos históricos, do valor non so de uso como de representación deste axente fulcral na definición do espazo lusófono. De falarmos dendê a comunicación, a língua son os obxectos e é o pensamente que se expressa en determinada língua, - para o caso, nas variantes do português e do galego-, e como advertia no Coloquio internacional sobre a lingua portuguesa na diáspora, celebrado em 2012 na cidade de Praia, a professora da Universidade Federal da Bahía, Edelinde Mendes, a lingua é herdanza [e é construción] cultural e identitaria e temos, xa que logo, a capacidade e o deber de axir a través dela. 

Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2012: Medios Púbicos e espazo lusófono
Margarita Ledo; Xosé López e María Salgueiro
2012
A paisaxe múltipla na que se desenvolven os diferentes sistemas públicos de comunicación do espazo lusófono constitúe a cerna do Anuário 2012 que, para alén desta temática alargada e plural canto a ollares, aspectos e obxectos a analizar, aprofunda no debate a redor de cuestións relativas a língua e comunicación, a cibercultura e, nesta ocasión, a medios e integración. 
Pensarmos a lusofonía como proxecto material e intelectual de comunicación, como lugar para a posta en relación do coñecemento e como territorio de propostas concretas, lévanos cara a un escenario, o da mundialización só drectrices neoliberais, onde é ben doado perder pé cando se fala da expresión, a información e a comunicación, e dos medios públicos como peza basilar deste dereito cidadá.
A pronta resposta á chamada de traballos lanzada por AGACOM, resposábel xunto coa LUSOCOM do presente número, indícanos que esta comunidade imaxinada, a da lusofonía, éo, cada vez máis, por partillar mensaxes e rituais, por manifestarse a través de bens de cultura e comunicación. Que os ventos lle sexan propícios. 
(Texto da contracapa)
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2011 - Lusofonia e Cultura-Mundo
Moisés de Lemos Martins, Rosa Cabecinhas e Lurdes Macedo (eds.)
2012
«Organizada conjuntamente pela Federação Lusófona de Ciências da Comunicação (LUSOCOM) e pela Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação (SOPCOM), a edição de 2011 do Anuário Internacional de Comunicação Lusófona merece-nos, por várias razões, uma nota particular, distintiva, até mesmo especial.

Especial porque, sendo esta edição subordinada ao tema “Lusofonia e Cultura-Mundo”, nos conduz por alguns dos infindos lugares que a lusofonia, enquanto comunidade de múltiplas culturas, tem para nos oferecer. É nesta experiência que nos deparamos com uma oportunidade que, pelo seu cosmopolitismo, se configura simultaneamente apaixonante e generosa. Trata-se de uma oportunidade apaixonante porque na viagem pelo espaço cultural do outro acabamos por nos encontrar também a nós próprios; revelando-nos a esse mesmo outro completamos a possibilidade de este pertencer ao nosso território de representações, de sonhos e de afetos. (...)

Analisando criticamente algumas das práticas que definem o espaço cultural de língua portuguesa, este número do Anuário Internacional de Comunicação Lusófona traz à luz o contributo de cientistas que, através de abordagens teóricas e metodológicas diversas, procuram compreender a complexidade intrínseca à (re)construção da lusofonia enquanto comunidade de cultura(s).»
(Texto na contracapa)
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2010: Lusofonia e Sociedade em Rede
Moisés de Lemos Martins, Rosa Cabecinhas, Lurdes Macedo
2011
Subordinado ao tema “Lusofonia e Sociedade em Rede”, este Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2010 analisa de forma crítica alguns dos desafios que se colocam aos processos de comunicação e às práticas culturais no espaço lusófono contemporâneo, constituído não só pelo conjunto de nações e de comunidades de língua portuguesa, mas também—e cada vez mais — por um conjunto de fluxos e de redes que se configuram no ciberespaço.

A complexa construção da(s) identidade(s) lusófona(s) é, desta vez, trazida à luz e discutida em textos de investigadores que tomam como ponto de partida os desafios da sociedade em rede e das políticas da língua, bem como as questões da memória e dos símbolos nacionais. Empenhados em aprofundar o conhecimento sobre o impacto destes fenómenos na (re)configuração da comunidade lusófona, os autores apresentam-nos artigos nos quais as perspectivas teóricas e as propostas metodológicas se multiplicam.

Organizado conjuntamente pela Federação Lusófona de Ciências da Comunicação (LUSOCOM) e pela Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação (SOPCOM), o Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2010 pretende constituir, assim, mais uma oportunidade para se reflectir sobre a relação entre comunicação, cultura e lusofonia na contemporaneidade. 
"(Texto da contra-capa)"

Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2009: Memória Social e Dinâmicas Identitárias
Moisés de Lemos Martins e Rosa Cabecinhas
2010
Subordinado ao tema ‘Memória social e dinâmicas identitárias’, este volume do Anuário Internacional de Comunicação Lusófona, relativo a 2009, analisa criticamente a relação entre os processos comunicativos e as (re)configurações identitárias nos países que constituem a chamada ‘comunidade lusófona’.
Esta comunidade, altamente heterogénea e atravessada por múltiplas tensões e assimetrias sociais (económicas, políticas, étnicas, linguísticas, etc.), não tem sido suficientemente estudada pela academia. Reunimos neste número textos de investigadores empenhados em aprofundar o conhecimento sobre os processos comunicativos, e amemória social nos diversos países que compõemesta comunidade e as (re)configurações identitárias.
Organizado conjuntamente pela Federação Lusófona de Ciências da Comunicação (LUSOCOM) e pela Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação (SOPCOM), o Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2009 pretende ser mais um contributo para o entendimento dos processos comunicativos e das dinâmicas identitárias em geral, e de um modo particular nos países de expressão lusófona.
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2008: Comunicação e Cidadania
Helena Sousa, Sandra Marinho, Rui Passos Rocha
2009
Subordinado ao tema ‘Comunicação e Cidadania’, este Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2008 analisa criticamente a relação entre a comunicação e os mecanismos de participação social e política no espaço lusófono. A obra compreende textos de investigadores profundamente empenhados na compreensão deste espaço pluricontinental marcado pela complexidade, ambivalência e contradição.Organizado conjuntamente pela LUSOCOM - Federação Lusófona de Ciências da Comunicação e pela SOPCOM- Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação, o Anuário pretende ser mais umcontributo para o entendimento das possibilidades de comunicação, da capacitação dos cidadãos e da acção transformadora. (Texto da contracapa)
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2007: Os media no espaço lusófono
Helena Sousa e Sandra Marinho
2008
A edição de 2007 do Anuário Internacional de Comunicação Lusófona procura responder a dois objetivos estruturantes da Federação Lusófona de Ciências da Comunicação (Lusocom): o desenvolvimento da investigação sobre a comunicação e os media, nesta área cultural, e o conhecimento mútuo da atividade científica das diversas comunidades que integram este espaço intercontinental. Esta obra espelha o crescente dinamismo da investigação científica lusófona e a complexificação dos olhares sobre uma comunidade que, feita de solidariedades e contradições, teima em ter sobre si própria uma reflexão autónoma. O Anuário está dividido em duas partes fundamentais: a primeira congrega textos especificamente dedicados à análise da comunicação e dos media nos espaço lusófono; a segunda procura traduzir a abertura, transdisciplinaridade e transversalidade da produção científica de investigadores lusófonos na esfera mais alargada das Ciências da Comunicação. 
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2006
2007
Dados e ficheiro a disponibilizar em breve.
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2005
2006
Dados e ficheiro a disponibilizar em breve.
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2004
2005
Dados e ficheiro a disponibilizar em breve.
Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2003
2004
Dados e ficheiro a disponibilizar em breve.
Caminho:   Página inicial  →  Livros